23 dezembro 2011

Calendário 2012

TÃO bonito! Já encontrei em diversos blogs muitos calendários para 2012. Adorei este e decidi compartilhar!
Temos várias imagens de corujas, de diferentes artistas, e pode-se escolher para cada mês uma imagem.
 Eis um exemplo:


Para configurar/ imprimir clicar em My Owl Barn

19 dezembro 2011

Band Of Horses - "The Funeral"

Como já alguém me disse "gostas de estar deprimida, achas que estar triste é romântico". Não sei se é isso ou não, talvez tenha uma pontinha de verdade, mas o que é um facto é que adoro este tipo de música, melancólica, deprimente, triste... esta música está definitivamente no meu Top 10! 
É quase impossível cansar de ouvir esta música. De cada vez que se houve repara-se numa nova frase, num novo sentido para cada palavra. Desde que a ouvia a primeira vez já li muitos comentários sobre o verdadeiro sentido da música. Há tantas interpretações.... mas no fim de contas o que interessa é o que esta música me diz a mim de cada vez que a ouço, o que ME faz sentir...

.

"I'm coming up only to hold you under
I'm coming up only to show you wrong
And to know you is hard and we wonder
To know you all wrong, we were
Ooh, ooh

Really too late to call, so we wait for
Morning to wake you; it's all we got
To know me as hardly golden
Is to know me all wrong, they were

At every occasion I'll be ready for a funeral
At every occasion once more is called a funeral
Every occasion I'm ready for the funeral
At every occasion one brilliant day funeral

I'm coming up only to show you down for
I'm coming up only to show you wrong
To the outside, the dead leaves, they all blow 
Before they died had trees to hang their hope
Ooh, ooh

At every occasion I'll be ready for the funeral
At every occasion once more is called the funeral
At every occasion I'm ready for the funeral
At every occasion one brilliant day funeral"

12 dezembro 2011

Estou a ler...

Feminino Singular de  Sveva Casati Modignani


Como já nos habituou, também nesta história, Sveva Casati Modignani fála-nos de mulheres fortes, personagens marcantes com opiniões bem definidas, mas que com o tempo e o amadurecer a que a vida nos obriga muitas vezes nos faz pensar que as coisas nem sempre são tão lineares como pensávamos. Uma mensagem que também me transmite a leitura que fiz até agora, é que é tão fácil julgar os outros sem conhecermos todos os pormenores da sua história! E nas vezes que por acaso conseguimos inteirar-nos dos pormenores que desconhecíamos, como que se abre uma porta para um novo prisma que agora passamos a admirar. Quando não chegamos a ver tudo o que está envolvido, lá ficamos nós cheios de orgulho a pensar que sabemos tudo sobre todos e que somos donos de uma verdade absoluta. 



Sinopse:
Martina: uma figura de mulher «singular». Amada por uns e criticada por outros, toda a sua vida esteve sob o olhar inquisidor das gentes de Vertova, incluindo o das próprias filhas…
No decurso da sua existência, dos anos quarenta aos nossos dias, através das mais complicadas vicissitudes, ela tentará encontrar o caminho para atingir a sua autêntica vocação de mulher - gerar a vida. Terá três filhas, de três homens diferentes, sem desposar nenhum deles.
A sua morte súbita, nas vésperas do Natal, provocará um tremendo choque no seio familiar, e será Vienna, a sua mãe, a desvendar os mais íntimos segredos dessa mulher tão enigmática. Através do seu relato, descobriremos que afinal elas têm mais em comum do que pensavam: todas são mulheres atraentes e independentes, que amaram e se deixaram amar, e que decidiram, sobretudo, enfrentar os cânones sociais em prol de um bem maior - a maternidade. 

Críticas de imprensa:
Uma história contada de forma fascinante, como Sveva tão bem sabe fazer.